Bilstein no off road também faz diferença

Bilstein no off road também faz diferença

Suspensão é o item de maior importância na preparação de um carro de corrida. No rally então… Mas eu não sabia que no off road fazia tanta diferença.

Depois de algum tempo trabalhando em parceria com a Campco Suspensões nos carros de rally, chegou a vez de experimentar os amortecedores Bilstein na trilha. A iniciativa partiu do Oscar, diretor da Campco – distribuidora Bilstein no Brasil, que comentou que os Trollers estavam ficando muito bons com uma suspensão de alta performance e perguntou se o JPX tinha opções mais interessantes. Só dei risada, pois mal temos peças de reposição para JPX, imagina se teremos itens de alta performance…

Uma semana depois ele estava com 4 (lindos) amortecedores prontos para serem instalados. Não sei se era melhor colocar na sala ou no jipe, mas na manhã de sábado marcamos de fazer a troca.

“Fácil… 4 amortecedores com pino/pino, 8 parafusos…” O primeiro foi fácil. Acho que em 20 minutos aquele tubo de aço inox estava reluzindo no meio da suspensão (cheia de barro). No segundo o bicho pegou… A porca debaixo do amortecedor estava “enterrada” na bucha e não tinha como alcançar com chave nenhuma… Dado o problema, meu pai pegou as ferramentas cirúrgicas e botou a mão na massa. Enquanto isso, eu e o Oscar fomos para os dianteiros.

Tirando que as porcas eram todas de tamanhos diferentes e alguns locais permitiam apenas 1/4 de volta, foram necessárias “apenas” 5 chaves de boca e uma (grande) dose de paciência. Algumas horas mais tarde, os amortecedores dianteiros prontos, achei uma bucha de borracha no chão… #$%&*!!! Tive que soltar uma das pontas novamente para colocar a borracha que faltou. Nesse meio tempo meu pai já tinha terminado a cirurgia na peça traseira e substituímos o amortecedor.

Tudo pronto! Vamos o que interessa. A primeira volta na quadra já foi animadora. O jipe ficou mais firme, mas muito mais preciso. Ao passar em tartarugas, buracos e afins a suspensão não joga o carro pra cima. Então a linha de trabalho é bem mais constante.

(Interessante como o progresso avança rápido. Demorei para lembrar / encontrar uma rua de anti-pó na redondeza…) Toquei no anti-pó e… liso! O balanço chato de veiculo alto com eixo rígido não acabou (e nem vai acabar), mas a direção ficou muito mais precisa.

Nesse primeiro teste, o ponto mais marcante foi passar lombadas a 60km/h. Antes pulava um pouco torto… Agora, além de “pular” bem menos, vc pode determinar para que lado o jipe vai depois da aterrissagem.

Na sábado seguinte, fomo para a famosa região de Campo Magro, a fim de testar o carro no seu habitat natural. Saímos do asfalto no acesso ao finado Bar da Canelinha e pegamos a Serrinha. Em frente ao Morro Careca uma bela novidade: Bar Fox. Um lugar muito bonito onde nosso amigo Paulo Fox construiu alguns quiosques para os trilheiros da região.

Alguns quilômetros depois pudemos avaliar os amortecedores. O jipe ficou mais duro sim, mas responde bem melhor às mudanças de tajetória e sofre menos os efeitos das inclinações da estrada. Para os que gostam de mais velocidade, as curvas também podem ser bem mais precisas e estáveis.

Saiba mais sobre os modelos disponíveis no site da Campco – www.campco.com.br.

Deixe uma resposta